Confederao Brasileira de Automobilismo

Fia Fia

  • 25
  • NOVEMBRO / 2018
    Fórmula 1
    Abu Dhabi
  • 25
  • NOVEMBRO / 2018
    Codasur Rally Sulamericano
    Uruguai
  • 25
  • NOVEMBRO / 2018
    Porsche Carrera Cup e GT3 Cup Challenge Brasil 2018 (Endurance)
    São Paulo - Endurance
  • 25
  • NOVEMBRO / 2018
    Mitsubishi Cup
    VeloCittá
  • 25
  • NOVEMBRO / 2018
    Copa Brasil de Autocross
    Cuiaba
  • 25
  • NOVEMBRO / 2018
    Brasileiro de Marcas e Pilotos
    Cuiaba
  • 25
  • NOVEMBRO / 2018
    Brasileiro de Autocross
    Cuiabá



Noticias

08/09/2015
Lancer vence 31ª edição dos 500Km de SP

Trio formado por Ingo Hoffmann, Guilherme Spinelli e Leandro de Almeida bateu Ferrari de Renato Cattalini e Fábio Greco por um décimo

A edição de número 31 dos 500Km de São Paulo, disputada no último domingo (6), ficou marcada pela menor diferença entre os dois primeiros colocados em toda a história da prova, realizada pela primeira vez em 1957. Depois de 146 voltas no circuito do Velo Città, em Mogi Guaçu (SP), o Mitsubishi Lancer de Ingo Hoffmann, Guilherme Spinelli e Leandro de Almeida chegou apenas 0s109 a frente da Ferrari 458 de Fábio Greco e Renato Cattalini, garantindo a vitória.

A prova contou com cinco carros diferentes na liderança e viu, nas voltas finais, um duro embate entre o Lancer, a Ferrari, e o protótipo MRX conduzido pelos catarinenses Alexandre Finardi e Gastão Weigert, que largaram na pole position e estavam na primeira posição até a 138ª volta, quando uma falha na suspensão os tirou da corrida. Então, Leandro de Almeida, responsável pela condução do Mitsubishi, viu Greco descontar rapidamente a diferença e tentar o ataque na volta final, sem sucesso.

Mesmo com o problema enfrentado no final da corrida, Finardi e Weigert terminaram na quarta colocação, logo atrás de Ney Faustini e Ney de Sá, que competiram com um Vectra Stock Car e estiveram na liderança até a hora final, quando precisaram visitar os boxes e perderam duas voltas para os líderes. A lista dos cinco primeiros ainda contou com outro protótipo MRX, este conduzido por Carlos Ortolani e Joon Park.

Para Almeida, a vitória foi ainda mais especial. Na prova de 2014 coube a ele fechar a corrida do trio – chamado de “Old Boys” – na condução de um Aston Martin V8, mas um erro quando restavam cinco voltas para o final da prova o fez perder a liderança para a dupla formada por Euclides “Kid” Aranha e Claudio Caparelli, que pilotaram um protótipo Radical SR8, que acabou ficando com a vitória.

“Passou um filme todo na cabeça, não só da corrida passada como em 2006, que a gente tinha duas voltas na frente do segundo colocado, mas tivemos um problema no carro. E aqui, quando tudo era menos provável, deu tudo certo. Eu tinha certeza de que, se chegássemos no final, terminaríamos bem, mas a vitória foi demais”, comentou o piloto, visivelmente emocionado com a vitória.

Se o sentimento de Leandro, Guiga e Ingo era o melhor possível, do lado derrotado da corrida a situação era de resignação. Greco lamentou o fato de perder os 500Km de São Paulo por uma diferença tão pequena e destacou que, apesar de enfrentar alguns problemas com a Ferrari ao longo da prova, o carro estava bem acertado para o circuito do Velo Città.

“A Ferrari estava muito bem acertada e, quando vi que estava chegando, me animei. O ritmo foi melhorando durante a corrida, e mesmo com alguns problemas de freios, a gente foi chegando. Pena que faltou uma volta. Acho que uma volta a mais a história certamente seria diferente”, comentou Greco, que disputava o extinto Campeonato Brasileiro de GT, conformado com a segunda colocação da prova.

Veja o resultado final dos 500Km de São Paulo:

1 – Guilherme Spinelli/Ingo Hoffmann/Leandro de Almeida (Lancer/GT2) – 146 voltas
2 – Renato Cattalini/Fábio Greco (Ferrari/GT1) – à 0s109
3 – Ney Faustini/Ney de Sá Faustini (Vectra/GP1) – à 2 voltas
4 – Alexandre Finardi/Gastão Weigert (Moro MRX/GP1) – à 8 voltas
5 – Carlos Ortolani/Joon Park (Moro MRX/P2) – à 10 voltas
6 – Jorge Machado/Rui Machado/Sergio Cardoso (MR18/GP1) – à 11 volyas
7 – Sérgio Pistili/Valter Pinheiro (Spyder/P3) – à 13 voltas
8 – Fernando Monis/Heitor Nogueira (Espron BMW/P2) – à 13 voltas
9 – Maurício Olio/Roberto Amaral “Coruja” (Vectra/GP1) – à 14 voltas
10 – Vinicius Palma/Vá Barbosa (Spyder/P3) – à 17 voltas
11 – Davi Plutarcho/Paulo Plutarcho/Tarco Pimentel (Spyder/P3) – à 27 voltas
12 – José Vilela/Mário Marcondes (Spyder/P3) – à 72 voltas
13 – Carlos Antunes/Luiz Aurélio/Lucas Biagioni (Moro MRX/P2) – à 81 voltas
14 – Marcos Philippi/Márcio Philippi (Maverick/GT2) – à 81 voltas
15 – Eber Gomes/Jefferson Gomes (Corsa/T2) – à 85 voltas
16 – Alexandre Pepe (Chevrolet Celta/T2) – à 87 voltas
17 – Davi Plutarcho/Paulo Plutarcho/Tarco Pimentel (Chevrolet Celta/T2) – à 95 voltas
18 – Eduardo Dorigel/Rafael Gimenes (Volkswagen Gol/TN) – à 102 voltas
19 – George “Grego” Lemonias/Edras Soares (Opala/GT2) – à 106 voltas
20 – Jorge Machado/Rui Machado/Sergio Cardoso (Chevrolet Corsa/GT2) – à 113 voltas

Foto: Vinicius Ferraz